terça-feira, 31 de julho de 2018

Um painel de azulejos com desenhos de cavalos

Um painel de azulejos com desenhos de cavalos

Nunca tinha reparado no painel de azulejos que tem na lateral que dá para Rua Cândido de Leão (na esquina com a Alameda Doutor Muricy) do Banco do Brasil da Praça Tiradentes.

No dia que tirei a foto notei que estavam fazendo uma obra, aparentemente para a colocação de um painel de vidro para proteger a obra e evitar a turma do crack, que fica por ali, meio escondida por umas plantas e umas lixeiras. Fico devendo uma foto melhor, mostrando o painel todo.

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Uma bela casa de madeira na Doutor Goulin

Uma bela casa de madeira na Doutor Goulin

Uma bela casa de madeira na Doutor Goulin

Como falavam nas rádios, esta vai para o Rolf Meyer, que enviou uma mensagem chamando a minha atenção para esta casa de madeira na Rua Doutor Goulin.
Realmente, a casa é bem bonita.

Não sei se ainda tem rádio onde as pessoas oferecem músicas umas para as outras. Pelo menos as que costumo ouvir não têm mais isso.
Mas lembrei que quando estava no científico um colega de classe conseguiu um emprego em uma rádio e ele, todas as manhãs, inventava oferecimentos de músicas para alguém da sala. Era um tal de todo mundo acordar cedo para descobrir que era a “vítima” do dia.

domingo, 29 de julho de 2018

O tholos na torre da Igreja Presbiteriana Independente

O tholos na torre da Igreja Presbiteriana Independente visto do Mirante Marumbi

Uma das coisas interessante para observar um pouco mais de perto no Mirante Marumbi é o tholos na torre da Primeira Igreja Presbiteriana Independente de Curitiba.

Publicação relacionada:
Primeira Igreja Presbiteriana Independente de Curitiba
Mirante Marumbi

sábado, 28 de julho de 2018

Mirante Marumbi

Mirante Marumbi

Vista do Edifício Barão do Serro Azul do Mirante Marumbi

Vista da torre da Igreja da Ordem a partir do Mirante Marumbi

Vista da Sociedade Garibaldi e da prédio da Telepar a partir do Mirante Marumbi

Vista das torres da Igreja do Rosário e da Igreja Presbiteriana Independente a partir do Mirante Marumbi

Vista do antigo Colégio da Divina Providência a partir do Mirante Marumbi

Vista da Sociedade Garibaldi a partir do Mirante Marumbi

Localizado no topo do Memorial da Cidade – na Rua Doutor Claudino dos Santos, 79 – o Mirante Marumbi proporciona um olhar do alto para a cidade, principalmente para o centro histórico.

Publicação relacionada:
Memorial da Cidade de Curitiba

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Casa com ornamento de ferro na Lourenço Pinto

Casa com ornamento de ferro e azulejo decorado na Lourenço Pinto - detalhe

Casa com ornamento de ferro na Lourenço Pinto

Casa na Rua Lourenço Pinto. Essa, além do ornamento de ferro, tem também um azulejo decorado. A casa é bem interessante, fiquei imaginando ela sem aquela placa de publicidade (que a esconde parcialmente) e com um pintura que destacasse mais a linhas dela.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Um grafite na Cruz Machado

Um grafite na Cruz Machado

Grafite na parede de um estacionamento na Rua Cruz Machado.
Já está um pouco desgastado pelo tempo, mas ainda bonito.

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Edifício Farid Surugi

Edifício Farid Surugi, na Rua Presidente Faria, esquina com a Rua XV de Novembro

Na esquerda o prédio do Correio Velho e mais ao fundo, na Rua Presidente Faria, esquina com a Rua XV de Novembro, o Edifício Farid Surugi; com as fachadas em estruturas metálicas e vidros.

terça-feira, 24 de julho de 2018

As cerejeiras na Praça do Japão

As cerejeiras na Praça do Japão

As cerejeiras na Praça do Japão

As cerejeiras na Praça do Japão

As cerejeiras na Praça do Japão

Este ano não estava planejando sair para fotografar as cerejeiras, mas passando de carro pela Praça do Japão, não resisti. Parei e fui fotografar. Pareceu-me que meia cidade tinha decidido fazer o mesmo. A praça estava cheia.

As primeiras mudas de cerejeiras foram doadas pelo imperador do Japão quando de uma visita à Curitiba em 1995. Depois de aclimatadas as mudas foram plantadas na Praça do Japão, na Rua XV de Novembro e no Jardim Botânico. Hoje essas bonitas árvores estão espalhadas pela cidade.

Publicações relacionadas:
Praça do Japão
Escultura de Tomie Ohtake na Praça do Japão
A florada das cerejeiras
Lanterna de pedra (ishi-dōrō, 石灯籠)

Referência:

segunda-feira, 23 de julho de 2018

A casa de madeira e o livro “Saudade do Ninho”

Casa de madeira na Rua Cândido Xavier, 521

Casa de madeira na Rua Cândido Xavier, 521

Washington Takeuchi no lançamento do seu livro de fotografias "Saudade do Ninho"

Estive sábado (21) nessa casa de madeira, localizada na Rua Cândido Xavier, 521; para o lançamento do livro “Saudade do Ninho”, do fotógrafo Washington Cesar Takeuchi, que tem o blog "Circulando por Curitiba".

A casa, que teria sido construída em 1887, foi adquirida em 1965 por Anna Luiza Zanetti de Oliveira (1918-2010), que após ficar viúva mudou de Palmeira para Curitiba, pois acreditava que aqui os filhos teriam mais oportunidades para estudarem e construirem as suas vidas.
Conforme conta – no livro “Saudade do Ninho – a neta de dona Anna, Leticia Teixeira, a família toda gravitava em torno da casa, que era o ponto de encontro de todos.
Após o falecimento da avó, Leticia abriu no local o café/restaurante “Doce de Cidra”.

O livro ficou bem bonito, com excelentes fotos.

Referência:

domingo, 22 de julho de 2018

Federação Espírita do Paraná

Sede histórica da Federação Espírita do Paraná na Rua Saldanha Marinho

Sede histórica da Federação Espírita do Paraná na Rua Saldanha Marinho

O terreno para a construção desse prédio foi adquirido pela Federação Espírita em 1913 e o prédio foi inaugurado em 1915. Naquela ocasião o local abrigava também um albergue noturno para pessoas pobres.

Em 1918, durante a epidemia de gripe espanhola que atingiu a cidade, a Federação Espírita ofereceu o prédio para abrigar doentes menos favorecidos. Os hospitais da cidade ficaram lotados e diversas organizações religiosas e civis da cidade ofereceram instalações para abrigar as vítimas de gripe.

O Espiritismo foi – e ainda é – responsável por uma série de iniciativas educativas, assistenciais e de caridade na cidade.

O prédio, localizado na Rua Saldanha Marinho esquina com a Alameda Cabral, é uma Unidade de Interesse de Preservação e depois de quatro anos de restauro, foi reinaugurado em 30 de novembro de 2002 e passou a ser chamado de sede histórica. Além da restauração do prédio, foram restaurados também móveis e quadros. No local tem uma exposição com a história da instituição, biblioteca, biblioteca infantil e videoteca com ambiente multimídia.
Ainda não deu no jeito de visitar o interior do prédio, mas qualquer hora dessas dá certo.

A sede atual da Federação Espírita do Paraná fica no prédio ao lado, na Alameda Cabral.

Referências:

sábado, 21 de julho de 2018

Um predinho na Desembargador Vieira Cavalcanti

Um predinho na Desembargador Vieira Cavalcanti

Predinho na Rua Desembargador Vieira Cavalcanti.

Uma das coisas para observar na arquitetura e como com o uso de formas simples, volumes, espaços e cores é possível criar algo interessante.
Poderia ser só um caixote, mas não é.

sexta-feira, 20 de julho de 2018

A casa e a árvore com flores

Casa na Alameda Prudente de Morais com árvore florida na frente

Esta casa na Alameda Prudente de Morais é outra daquelas com platibanda e ornamento de metal. Mas o que chamou atenção também foi a árvore florida.

A cidade está com as árvores floridas. As com flores com tons de roxo e rosa (cerejeiras ou sakuras, jacarandás, ipês-roxos).

Agora que me toquei. Parece que as árvores com flores com essas cores florescem agora, ainda durante o inverno e mais tarde, já no início da primavera, florescem as árvores com flores amarelas. Será que isso faz sentido?

Publicação relacionada:
A florada das cerejeiras

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Mudou

Parede de edifício na Travessa Nestor de Castro com grafite
Parede de edifício na Travessa Nestor de Castro com grafite
Parede de edifício na Travessa Nestor de Castro com grafite

Esta parede, a Travessa Nestor de Castro, já apareceu por aqui, mas com outra pintura.

O grafite tende a ser uma arte temporária. Apesar de alguns lugares serem constantemente usados, quando a pintura desbota a tendência é fazer uma nova, em vez de renovar a anterior.

Publicação relacionada:
Um mural na Nestor de Castro

quarta-feira, 18 de julho de 2018

O vizinho

Unidade de Interesse de Preservação na Rua Lourenço Pinto
Unidade de Interesse de Preservação na Rua Lourenço Pinto
Unidade de Interesse de Preservação na Rua Lourenço Pinto - detalhe

Este sobrado na Rua Lourenço Pinto é vizinho da casa que publiquei ontem, que era a antiga sede do jornal “Der Beobachter”.

Ao contrário do que aconteceu com a vizinha, não consegui descobrir a história dele, que também é uma Unidade de Interesse de Preservação.

No dia que fotografei ainda estavam terminando a renovação da pintura. Faltava só um pouco para terminarem (pelo menos na fachada), mas agora já deve estar pronto.

O sobrado é muito bonito, com uma decoração interessante e chama a atenção especialmente a platibanda.

terça-feira, 17 de julho de 2018

Der Beobachter

Foto da casa que foi a sede do jornal "Der Beobachter" em Curitiba

Foto da casa que foi a sede do jornal "Der Beobachter" em Curitiba

Foto do início do século XX da casa que foi a sede do jornal "Der Beobachter" em Curitiba. Acervo: Paulo José da Costa
Foto do início do século XX da casa que foi a sede do jornal "Der Beobachter" em Curitiba. Acervo: Paulo José da Costa

Neste casarão funcionou o jornal “Der Beobachter” com a sua typographia. O jornal, em alemão, era propriedade do jornalista e escritor Anton Schneider.

O casarão, localizado na Rua Lourenço Pinto, 84 é uma Unidade de Interesse de Preservação.

O “Der Beobachter”  era um trissemanário fundado em 1889. Durante a Primeira Guerra Mundial os jornais de língua alemã deixaram de ser impressos no Brasil. Boa parte deles retornou após o encerramento do conflito em 1919, mas esse não foi o caso do “Der Beobachter”.

O jornal era de orientação agnóstica isso provocou o surgimento de um concorrente em 1902, o “Des Kompass”, também voltando para a colônia alemã, mas de orientação católica.

Referência:

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Relâmpago

Relâmpago - instalação de Gisela Motta e Leandro Lima em exposição mo Museu Oscar Niemeyer

Relâmpago - instalação de Gisela Motta e Leandro Lima em exposição mo Museu Oscar Niemeyer

A obra “Relâmpago” é uma instalação, parte da exposição “Paisagens Construídas”, em cartaz atualmente no “Olho”, no Museu Oscar Niemeyer.

Na plaquinha de identificação da obra está escrito o seguinte:

“GISELA MOTTA E
LEANDRO LIMA

Relâmpago, 2015
Lightning, 2015

Instalação
Installation

Lâmpadas Philips TL5 Ho TI5 -
54w - Activiva | Reatores Philips
2xtI5 | 36/50/54/55/58w Bivolt |
Conectores de Alumínio e Cabos
TL Ho TI5 - 54w - ActiViva Philips
Lamps | 2xtI5 Philips Reactors
| 36/50/54/55/58w Bivolt |
Aluminium and Cable Connectors

Dimensões variáveis
Varied dimensions

Gosto de arte (muito), mas tenho alguma dificuldade com instalações. Algumas delas não encaixam bem no meu conceito de arte. Mas gostei dessa.

domingo, 15 de julho de 2018

Casa de madeira na Desembargador Motta

Casa de madeira na Desembargador Motta
Casa de madeira na Desembargador Motta - detalhe lambrequins
Casa de madeira na Desembargador Motta - detalhe lambrequim

O que chamou a minha atenção nessa simpática casa de madeira na Rua Desembargador Motta, além dos lambrequins, foi a altura do pé direito, bem mais alto do que estou acostumado a encontrar em casas de madeira.

sábado, 14 de julho de 2018

Outra Unidade de Interesse de Preservação na André de Barros

Outra Unidade de Interesse de Preservação na André de Barros
Outra Unidade de Interesse de Preservação na André de Barros - detalhe
Outra Unidade de Interesse de Preservação na André de Barros

Outra Unidade de Interesse de Preservação na André de Barros -detalhe

Este prédio na Rua André de Barros, 435 é uma Unidade de Interesse de Preservação.
O prédio é muito bonito e de certa forma diferente. Chama a atenção de maneira especial a parte central dele, onde fica a entrada.

O que teria sido quando construído? Na tentativa de descobri algo, um dos locais que verifiquei foi o site do hotel que está ali instalado, mas não encontrei nada. Interessante que apresentam uma série de atrações nas proximidades e outras mais distantes, mas não falam nada do imóvel em que estão instalados que, pelo menos na minha opinião, é uma atração.

A fachada do prédio está muito bem conservada, aliás, as UIP que são ocupadas por hotéis de um modo geral são bem conservadas.

Publicação relacionada:
Busto em homenagem a André de Barros

sexta-feira, 13 de julho de 2018

ASR - Associação de Senhoras de Rotarianos de Curitiba

Casa da ASR - Associação de Senhoras de Rotarianos de Curitiba

Casa da Associação de Senhoras de Rotarianos de Curitiba, localizada na Rua Desembargador Isaías Bevilaqua.

O Rotary Club de Curitiba foi fundado em 1933, sendo um dos primeiros do Brasil. O primeiro presidente foi Clotário de Macedo Portugal.

O que é o Rotary


Transcrevo a explicação dada no site do clube mais antigo da cidade, que diz o seguitne:

“Rotary é uma organização internacional de profissionais e pessoas de negócios, líderes em suas áreas de atuação, que prestam serviços humanitários, fomentam elevado padrão de ética em todas as profissões e ajudam a estabelecer a paz e a boa vontade no mundo. Cerca de 1,2 milhão de rotarianos pertence a mais de 31.000 Rotary Clubs em 166 nações. Rotary é um entidade humanitária apolítica e sem vínculos religiosos, fundada em 1905. Os Rotary Clubs reúnem-se semanalmente, sem vínculos políticos ou religiosos, estando abertos a todas as culturas, raças e credos.”

Referência:

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Monumento à República

Monumento à República. Estátua de mulher como alegoria da república.
Monumento à República. Alegoria da república e estátua de Benjamin Constant.
Monumento à República. Alegoria da república e estátua de Benjamin Constant.
Monumento à República. Placa em bronze com Marechal Deodoro da Fonseca a cavalo
Monumento à República. Placa em bronze com os principais personagens, tendo em primeiro plano Benjamin Constant

O Monumento à República, inaugurado em 1º de janeiro de 1940, fica na Praça Tiradentes. Concebido pelo historiador David Carneiro, um positivista, o que explica o destaque dado a Benjamin Constant.

O bloco de pedra com 26 toneladas foi trabalhado na pedreira do maciço do Morumbi por Domingos Greca e transportado para Curitiba de trem.
As esculturas em bronze foram feitas por João Turin.

No topo, em destaque, fica uma mulher representando a república (alegoria da república), mas também em destaque está a estátua de Benjamin Constant Botelho de Magalhães.
Benjamin Constant teria sido um dos articuladores do golpe republicano, mas tudo indica que o papel dele foi exagerado pelos positivistas.

Uma das placas de bronze em alto relevo mostra o marechal Deodoro da Fonseca em seu cavalo, claramente inspirada no quadro “A Proclamação da República”, de Henrique Bernardelli.
Outra placa, no lado oposto, mostra os principais personagens do episódio, com Benjamin Constant no primeiro plano.

O conjunto da obra de João Turin é tombado pelo Patrimônio Cultural do Paraná.

Referências: