terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

A paineira na Praça General Werner Gross

A paineira na Praça General Werner Gross

A paineira na Praça General Werner Gross

A paineira na Praça General Werner Gross

A paineira na Praça General Werner Gross

Essa belíssima paineira (Chorisia speciosa) está na Praça General Werner Gross, no Bom Retiro.
A árvore foi tombada pelo Patrimônio Cultural do Paraná em 10 de setembro de 1974. No Livro de Tombo, no item características está anotado o seguinte: “Feição notável com que foi dotada pela natureza.”

Alguns defendem que a árvore teria sido plantadas pelo Ouvidor Pardinho (Raphael Pires Pardinho) em 1721.
Procurei, mas até o momento não encontrei, os argumentos da pessoas que defendem que ela teria sido plantada pelo Ouvidor Pardinho.
No provimento de número 30 Pardinho refere-se a estacas de “ubarana verde” que haviam sido plantadas em “1º de Mayo de 1693” para demarcarem os limite da “villa”, dando inclusive as distâncias e a direção, a partir do pelourinho, onde estas estacas verdes foram plantadas.

No provimento 31 diz o seguinte:

“31. – Proveo q´os Juises e offcs. da camera focem ver estes marcos, e ubârânas se exystião ainda, e para melhor demarcasão pusecem em cada hu destes marcos 3 ubârânas, que direitamente fizecem todas 3 O Rumo do noroéste e Sueste travesão das ditas linhas de Nordeste e Sudueste. E outro sim midicem a quadra do dº Rocio metendo-lhe de novo outras ubârânas por donde levarem as linhas da quadra em modo que huãs fericem com as outras e facilmente serviçem as outras digo servicem as terras que ficam dentro do Rocio: de que faram termo no libro do Tombo declarando as paragens em que poem as estacas, e as braças e distancia q´ huãs ficão das outras para a todo o tempo se poder saber por onde parte.”

O provimento 35 deixa claro as razões dessa demarcação dos limites da vila.

“ 35- – Proveo q´ tivesem os offiaes da camera entendido que fora do dito Rocio não tem jurisdição para dar Terras das muitas que hã devolutas pelo termo e certões desta villa, porque isto he reservado aos Gencs. deste Governo, a quem S. Magestade, q´Deus Guarde, o tem concedio, pois achou elle Ouvidor Geral nos livros da Camera alguns Termos de campos, e terras q´ a Camera deu a algúas pessoas que lhas pedirão. E tem conformação que os … “.

Ou seja, a importância de demarcar os limites da vila era determinar os limites da jurisdição da Câmara.

Como escrevi antes, não encontrei ainda os argumentos dos que defendem que essa bela árvore foi plantada pelo Ouvidor Pardinho. Imagino que com base nos provimentos, e possivelmente em outros documentos, tenham determinado a localização dos marcos dos limites da vila. Provavelmente tenham chegado a conclusão que um deles ficava na praça.

De qualquer maneira, se foi ou não plantada pelo Ouvidor Pardinho, a paineira é bonita e majestosa. Vale a pena ser preservada enquanto viva.

Publicação relacionada:
Praça General Werner Gross

Referências:

domingo, 17 de fevereiro de 2019

Praça General Werner Gross

Praça General Werner Gross

Praça General Werner Gross

placa de bronze na Praça General Werner Gross

totem de pedra com placa de bronze e árvore na Praça General Werner Gross

A Praça General Werner Gross está localizada na esquina da Rua Cláudio Manoel da Costa e Rua Valentin Trevisan, no Bom Retiro.

No local, em um totem de pedra está um placa com os seguintes dizeres:

“PRAÇA
GEN. WERNER H. GROSS
HOMENAGEM DO
ROTARY C.C. MERCÊS
AO NOSSO GRANDE COMPANHEIRO
GESTÃO 73 / 74”

A praça tem na parte dos fundos um quadra de futebol de areia.
No centro, uma grande árvore, sobre a qual escreverei amanhã.

Werner Hjalmar Gross


“Werner Hjalmar Gross, filho de Carlos Hugo Gross (austríaco) e Vitória Carlota Gross (francesa), nasceu em Curitiba no dia 06 de março de 1913. Em 1941 casou com Odília Koch, cujo matrimônio nasceu uma filha, Clotilde Gross.

Fez o curso primário na Escola Alemã e o ginasial no antigo Ginásio Paranaense. Estudou no Colégio Militar no Rio de Janeiro, seguindo a carreira na qual, em 1937 tornou-se Aspirante a Oficial. Desenvolveu ótima trajetória militar, chegando ao posto de General de Brigada em 1961.

Em julho de 1955, realizou o Curso de utilização de Rádio-Elementos, na França. Na mesma época, seguiu à Alemanha, onde permaneceu durante dois anos, especializando-se em explosivos, através do Conselho Nacional de Pesquisas. Ao regressar ao Brasil, serviu na Fábrica do Exército, em Bonsucesso.

Em 1960, retornou a Curitiba, na qualidade de oficial da reserva, tendo ingressado na Universidade Federal do Paraná, como professor de Física Nuclear, sendo, logo a seguir, elevado às funções de Chefe de Departamento. Foi Coordenador da Comissão Nacional de Energia Nuclear; Chefe do Laboratório Experimental da Fábrica Presidente Vargas em Piquete; Membro do Centro de Letras do Paraná; Membro do Centro Positivista do Museu David Carneiro.

Rotariano do Rotary Club de Curitiba Mercês, onde ingressou em 1971, permaneceu no clube até o seu falecimento, em 02 de fevereiro de 1973.”

Publicação relacionada:
A paineira na Praça General Werner Gross

Referência: