sábado, 5 de dezembro de 2020

Uma bela casa de madeira na Doutor Goulin (nova foto)

Casa de madeira, pintada de verde, na Rua Doutor Goulin

Saindo o mínimo necessário por causa da pandemia, um dia desses passei em frente dessa casa, que já apareceu aqui no blog.

Como a luz estava boa e acho a casa bonita, resolvi fotografá-la novamente. Gostei do resultado, acho que essa foto ficou melhor.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2020

No bosque no final de uma tarde

Árvores no bosque ao longo do Córrego Tarumã

Foto tirada no final de um dia, em janeiro passado, no bosque ao longo do Córrego Tarumã. Um pouco depois do Bosque Portugal, em direção à Linha Verde.

terça-feira, 1 de dezembro de 2020

Itupava 71

Casa na Rua Itupava que atualmente abriga a Sociedade Paranaense de Anestesiologia

Casa na Rua Itupava que atualmente abriga a Sociedade Paranaense de Anestesiologia

Essa casa na Rua Itupava chamou atenção pelo tamanho e pelo desenho geral.

Olhando imaginei, sem qualquer informação concreta, que foi um daqueles casarões de meados do século passado que foi modernizado.

Atualmente abriga a Sociedade Paranaense de Anestesiologia, em cujo site encontrei o seguinte:

“A história da anestesia no Paraná parece iniciar-se na cidade de Paranaguá, onde o médico alemão Dr. Sigmund Weiss, no início do século XX, teria utilizado pela primeira vez a cocaína em suas anestesias.

Até a década de 40, as anestesias eram aplicadas, na grande maioria das vezes, pelo próprio cirurgião ou por algum assistente de sua equipe e às vezes por enfermeiras, e consistiam quase sempre na administração de éter ou clorofórmio, evoluindo para o balsofórmio (mistura de éter, clorofórmio e gomenol), pelo sistema gota-a-gota, em máscara aberta (Yankauer), evoluindo posteriomente para o aparelho de Ombredanne. Alguns cirurgiões se aventuravam na anestesia venosa, utilizando o Evipan® e posteriormente o Nembutal®. Em concomitância com o ato cirúrgico, administravam anestesias loco-regionais, com o uso progressivo da cocaína, novocaína e tetracaína. Os obstétras utilizavam clorofórmio e posteriormente tricloroetileno nas analgesias obstétricas. … “.

Lembro que quando jovem li em um daqueles livros da “Coleção Seleções Reader’s Digest” sobre a história da descoberta da anestesia, que descrevia também como eram as cirurgias antes dos primeiros anestésicos.

É interessante que uma coisa que hoje temos como certa seja um procedimento muito recente na história do homem. 

Referência: