sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Outra com um losango na fachada

Casa com diversos detalhes decorativos na fachada, entre eles um losango

Outra simpática casa na Rua Paraguassu.

Gostei dos detalhes da decoração na fachada. Sem eles, seria uma casa bem diferente, comum. 

quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Seja forte. Use máscara.

Duas pessoas usando máscara de proteção contra o vírus da pandemia


Seja Forte. Use máscara, lave as mãos com frequência e fica em casa o máximo que puder.

Na foto, tirada no início de setembro, atendentes de uma dessas redes de sanduíches. Todos usando máscara.

Referências:

segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Uma de madeira na Estados Unidos

Casa de madeira na Rua Estados Unidos

Casa de madeira muito bem conservada na Rua Estados Unidos, com aquele estilo tradicional.
Notei também o cão no portão, com aquela proteção na cabeça, que não sei o nome. 

sábado, 21 de novembro de 2020

Outro sobrado na Saldanha Marinho

Sobrado na Rua Saldanha Marinho

Fachada de sobrado na R. Saldanha Marinho

 Sobrado na Rua Saldanha Marinho com com uma frontaria bem interessante.

Apesar da pintura destacar pouco os diversos detalhes (e a foto, meia boca, também não ajudar) ele é bem bonito, com diversos elementos decorativos.

quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Uma casa na Paraguassu

Fachada de casa na Paraguassu
Uma casa na Paraguassu - vista lateral

Casa na Rua Paraguassu, esquina com a Rua Elbe Pospissil.

Atualmente a casa tem uso comercial e foi modernizada, mas manteve muitas das características originais, tanto na fachada como na lateral. Bacana.

terça-feira, 17 de novembro de 2020

Outro passarinho no Bosque Portugal

Passarinho de plático pendurado em uma árvore no Bosque Portugal

Outra pequena escultura de passarinho que encontrei a Rua Francisco Stobbia, margeando o Bosque Portugal.

As vezes caminho por ali e de uns tempos para cá encontro pequenas esculturas.

Essa lembrou-me de Rogério Dias e da sua série de pinturas de passarinhos.

domingo, 15 de novembro de 2020

Uma da madeira, com capelinha, na Anita Ribas

Vista de perfil de simpática casa de madeira no Bacacheri

Fachada de casa de madeira pintada de verde

Detalhe de capelinha em casa de madeira

Simpática casa de madeira, muito bem conservada, na Rua Anita Ribas.

Além de capelinha, com imagem, tem também muro pré-fabricado um um desenho bacana.

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

IPEM PR

Sede do IPEM PR - Instituto de Pesos e Medidas do ParanáSede do IPEM PR - Instituto de Pesos e Medidas do Paraná, localizada na Rua Estados Unidos.

O IPEM é um órgão (autarquia) dedicado a área de metrologia legal e a avaliação de conformidade de bens e serviços, ligado administrativamente ao governo do estado do Paraná e tecnicamente ao Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia, INMETRO.

Referência:

quarta-feira, 11 de novembro de 2020

A luminária e as flores

Luminária e flores em um muro

Caminhando por aí as vezes a gente encontra cenas assim, como dessa luminária com flores em um muro de uma casa no Jardim Social. 

segunda-feira, 9 de novembro de 2020

Esperando o ônibus

Pessoas no ponto de ônibus, usando máscara

Outra foto desses tempos de pandemia. Pessoas em um ponto de ônibus (ou estação tubo, se preferir), na Avenida Paraná. Todas com mascará.

sábado, 7 de novembro de 2020

+ ornamentos de ferro

Casa com ornamentos de ferro - detalhe de um deles

Casa com ornamento de ferro - detalhe

Casa na Rua Paraguassu, com ornamentos de ferro na fachada

Casa na Rua Paraguassu com dois ornamentos de ferro.

Reparei também na bay-window e na outra janela com aquela proteção de telhas para evitar a água escorrida (esqueci o nome).

Bem bonita a casa.

quinta-feira, 5 de novembro de 2020

Trajano Reis 513

Casa na R. Trajano Reis, com a fachada toda pichada

Faz mais de ano que tirei essa foto na Rua Trajano Reis. Nem pretendia publicá-la, mas estou ficando sem fotos.

No caso, o que chamou a minha atenção nem foi tanto a casa, mas as pichações. Aliás, aquele trecho da Trajano está – ou estava – todo pichado. Uma pena. Quando o pessoal resolve baixar em uma região é um tormento para os proprietários, que não dão conta de pintar os seus imóveis.

Publicação relacionada:

terça-feira, 3 de novembro de 2020

Um painel de azulejos na Saldanha Marinho

Casa com painel de azulejos na fachada


Um painel de azulejos na Saldanha Marinho - detalhe

Casa na Rua Saldanha Marinho, sede do Instituto de Direito Romeu Felipe Bacellar, instituição dedicada ao ensino, extensão e pesquisa na área do direito.

O destaque é o painel de azulejos na fachada, de autoria de Andy Mendes e execução de C. Alfanio.

Referência:

domingo, 1 de novembro de 2020

Capela Nossa Senhora do Monte Bérico

Capela Nossa Senhora do Monte Bérico

Capela Nossa Senhora do Monte Bérico

Capela Nossa Senhora do Monte Bérico

Capela Nossa Senhora do Monte Bérico

Curitiba tem duas capelas com o nome de Nossa Senhora do Monte Bérico. Uma deles é em Santa Felicidade e a outra, essa das fotos, fica na Rua Agostinho Zaninelli, esquina com a Rua Benvenuto Gusso, no Boa Vista. Faz parte da Paróquia Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças.

Não conhecia a capela, que é constituída por dois prédios. Imagino que a construção da direita seja a original, mais antiga e a da esquerda, com um estilo mais moderno, seja uma espécie de nova capela, maior, para um público mais numeroso. As fotos foram tiradas já nesse período de pandemia e a igreja estava fechada.

Não consegui encontrar nada sobre a história dela, quando foi construída, por quem, coisas assim. É uma pena que o site da Arquidiocese de Curitiba não tenha informações históricas das diversas paróquias. Acho que isso criaria vínculos maiores com a comunidade. Quando entro em uma igreja que sei alguma coisa a mais sobre ela, sinto uma conexão maior.

Madonna di Monte Bérico

A devoção a Nossa Senhora do Monte Bérico teve início na cidade de Vicenza, na região do Veneto, ao norte da Itália, com as aparições de Nossa Senhora a uma camponesa, chamada Vincensa Pasini, nos anos de 1426 e 1428 num local denominado Monte Bérico, onde Nossa Senhora solicitou a construção de uma igreja em sua honra.

Em sua segunda aparição, quando uma forte epidemia assolava Vicenza, Nossa Senhora prometeu que aquele mal seria extinto assim que a igreja fosse construída.

A velha camponesa, sem medir esforços e com muita fé, oração e perseverança, procurou sensibilizar as autoridades para que atendessem o pedido de Nossa Senhora. A igreja foi construída e a epidemia terminou no ano de 1430.”

A devoção a Nossa Senhora do Monte Bérico foi disseminada pelo mundo pelo imigrantes italianos. Devoção, para quem é católico, com um forte apelo atual.


Referências:

sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Bem bonita, na Saldanha Marinho

Casa, pintada de amarelo, na R. Saldanha Marinho

Outra casa muito simpática na Rua Saldanha Marinho.

Pedras no muro, na entrada e rodapé da fachada; escada em curva, grade de ferro na janela com ornamentos e a decoração triangular no topo. Repare também na curva na parede junto ao beiral.

Acho que o reboco com textura na fachada e a cor amarela contribuiram para a foto.


quarta-feira, 28 de outubro de 2020

O cuidado continua

Pessoas em um ponto de ônibus. Todas com máscara

É isso aí!
O cuidado continua. Use máscara sempre.

Pessoas em um ponto de ônibus na Rua Holanda, todas usando máscara.

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

A capelinha e o galo ficaram

Casa na R. Alferes Ângelo Sampaio com capelinha e galo dos ventos

Casa na R. Alferes Ângelo Sampaio - detalhe da capelinha na fachada

Casa na R. Alferes Ângelo Sampaio - detalhe do galo dos ventos no telhado

Casa na Rua Alferes Ângelo Sampaio.

O pessoal deu uma repaginada na casa mas deixaram a capelinha e o galo dos ventos (meio escondido para quem olha de frente). Gostei!

Publicação relacionada:

sábado, 24 de outubro de 2020

Treze de Maio 450

Casa na R. Treze de Maio, que é uma Unidade de Interesse de Preservação - fachada

Casa na R. Treze de Maio, que é uma Unidade de Interesse de Preservação - detalhes da platibanda

Casa na R. Treze de Maio, que é uma Unidade de Interesse de Preservação - detalhe da janelas

Casa na R. Treze de Maio, que é uma Unidade de Interesse de Preservação - vista de perfil

Essa casa na Rua Treze de Maio, próximo da esquina com a Rua Barão do Serro Azul, é uma Unidade de Interesse de Preservação.

Nem faz sentido ficar aqui descrevendo todos os belíssimos detalhes da fachada, mas observe-os atentamente. Fachada decorada com muito capricho e imaginação.
Sem dúvidas, UIP com uma das fachadas mais bonitas da relação.

Pensei que encontraria facilmente alguma informação sobre a história dela, mas não encontrei nada, ainda.

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Um solar na Elbe Pospissil

Um solar na Elbe Pospissil

Solar na Rua Elbe Pospissil com uma fachada bem bacana. Pelo jeitão dele imagino que tenha sido construído em meados do século passado. 

terça-feira, 20 de outubro de 2020

Uma casa na Flávio Dallegrave

Uma casa na Flávio Dallegrave

Casa na Rua Flávio Dallegrave, em um dos vários trechos em que ela fica próxima da Avenida Anita Garibaldi.

Chamou a minha atenção, talvez pela moldura na janela.

 

domingo, 18 de outubro de 2020

Vila Julia

Casa na Rua Saldanha Marinho

Casa na Rua Saldanha Marinho - detalhes

Casa na Rua Saldanha Marinho

Bem bonita essa casa na Rua Saldanha Marinho.

Algumas casas, como essa, chamam atenção nos detalhes, que revelam o capricho no desenho e na construção.

A começar pelo desenho do alpendre, colunas com capitel de moldura, os guarda-corpos vazados, os desenhos geométricos e a cartela com nome da casa no frontão. Molduras nas aberturas e porta com vidros coloridos. Repare também no telhado com mansarda.

Imagino que a grade fosse originalmente mais baixa, apenas entre as colunas do muro revestido de pedras.

Uma pena não saber nada sobre ela. Quem a construiu? Quando? Quem é Julia?

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Casa na David Geronasso com Leão Sallum

Casa na David Geronasso com Leão Sallum

 Casa na Rua David Geronasso, esquina com a Rua Leão Sallum.

Com linhas retas e a decoração com motivos geométricos. A platibanda decorada com losangos e o canto da esquina chanfrado.

Reparei também na parte do muro pré-fabricado. Já comentei aqui que depois que comecei as minhas andanças pela cidade fiquei surpreso com a variedade de desenhos nesse tipo de muro.

Gostei dela.

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Ipê-branco

Árvore de ipê-branco florida

Copa de ipê-branco florido

Nesta época do ano, início da primavera, a rede de computadores costuma ficar inundada de imagens dos ipês-amarelos, abundantes em Curitiba.

O ipê-branco (Tabebuia roseoalba), em menor quantidade na cidade, com flores com a cor mais discreta e com um período de florada menor; passa meio despercebido. Mas é uma árvore muita bonita, com flores delicadas.

Esse ano a florada do ipê-branco pareceu menor, com menos flores. Imagino que a seca braba pela qual passamos tenha afetado-os mais.

Referência:

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

Uma casa na Elbe Pospissil

Uma casa na Elbe Pospissil

Casa na Rua Elbe Pospissil. Gostei da fachada dela.

Elbe Pospissil

Fiquei curioso com o nome da rua e encontrei o seguinte em um texto de Cid Destefani:

“… Elbe Pospissil, jornalista, foi um batalhador em prol dos melhoramentos da vida operária. Em 1919 articulou a greve dos ferroviários, que cobrou um aumento salarial de 20% e jornada de oito horas de trabalho (muito antes de a lei getulista acontecer), saindo vencedor. A partir daí, sua participação na União Operária do Paraná o projetou na carreira política.

A professora Julia Wanderley escreveu no jornal Operário Livre, tanto sobre educação como artigos alusivos a problemas sociais. Assim como Pospissil, a mestra poderia ficar enquadrada pelos senhores de direita da época como anarquista.”

Também encontrei em “Genealogia Paranaense” o seguinte:

“Elbe Pospissil, habil typographo e lynotipista. Trabalhou durante dezoito annos nas officinas dos jornaes “A Republica”, Diario da Tarde”, “A Tribuna” e “Gazeta do Povo”. Fundou os jornaes “O Proletario”, “O Trabalho” e a “Tribuna” e a “Revista do Sul”. De avançadas ideas socialistas faz parte dos diversos Clubs de classes que o collocam sempre em evidencia e ainda agora o partido operario do Paraná em pleito eleitoral, e com grande votação, fez triumphar o seu nome para Deputado Estadual. Vem sendo precioso elemento na Secção de Contabilidade da Prefeitura Municipal de Curityba.
Casou-se a 6 de Maio de 1922 com Helena Krause Pospissil.”

Referências:

sábado, 10 de outubro de 2020

Ristorante Bologna

Casarão na esquina da Rua Alferes Ângelo Sampaio com a Alameda Doutor Carlos de Carvalho

Casarão na esquina da Rua Alferes Ângelo Sampaio com a Alameda Doutor Carlos de Carvalho

Este casarão localizado na Rua Alferes Ângelo Sampaio, esquina com a Alameda Doutor Carlos de Carvalho, é uma Unidade de Interesse de Preservação.

Essa é uma daquelas publicações onde é praticamente obrigatório falar do negócio que ocupa o imóvel, uma vez que o Bologna é um dos restaurantes mais tradicionais e conhecidos da cidade.

Foi fundado em 1972 pela Família Caliceti e originalmente era localizado na mesma Alameda Doutor Carlos de Carvalho, um pouco mais próximo do centro.

Não sei nada sobre a história da casa, que tem uma platibanda interessante e o canto chanfrado na esquina, onde tem também uma pequena sacana. Considerando a posição da porta, imagino que originalmente também abrigava um negócio no térreo e residência na parte superior. 

quinta-feira, 8 de outubro de 2020

O que lhe vem em mente?

Catador de papel puxando carrinho bem carregado

Dia terminando, carrinho cheio, muito peso para puxar.

Não sei quanto tempo e qual distância ele ainda tem pela frente para finalmente trocar a carga por algum dinheiro. Pouco dinheiro, diga-se.
Só olho para a imagem e penso … 

Publicações relacionadas:

terça-feira, 6 de outubro de 2020

A casa do Seu João e da Dona Joana

Casal de joão-de-barro reconstruindo um ninho

Mais uma foto para a série “Fotografia durante a pandemia”. Hoje uma casa diferente.

Um casal de joão-de-barro (Furnarius rufus) trabalhando na reconstrução de um ninho.

Desocupando há tempo, um dia notei que estavam reconstruído. Quando tirei essa foto em meados do mês passado, os dias estava muito quentes e a obra andava lentamente.

Após uns dias de chuva a coisa realmente progrediu e acho que agora o ninho está pronto.

Desde então, tenho observado – e fotografado – o ninho todos os dias.
Talvez no futuro publique uma sequência da reforma.

domingo, 4 de outubro de 2020

Uma casa na Guarda Mor Lustosa

Uma casa na Guarda Mor Lustosa

Uma casa na Guarda Mor Lustosa

Uma casa na Guarda Mor Lustosa - detalhe da mansarda

Uma casa na Guarda Mor Lustosa - detalhe da platibanda e ornamento de ferro

Muito interessante a fachada dessa casa na Rua Guarda Mor Lustosa.
Repare na porta de entrada na lateral, nas janelas, na platibanda com vários detalhes e com um ornamento de ferro e também no telhado com mansarda.

Além da casa, fiquei curioso com o nome da rua.

Guarda Mor Lustosa

Carlos Zatti escreveu o seguinte sobre ele:

“1790 - 17/03 – Aos 90 anos, de idade, falece repentinamente em Curitiba, o distinto e valoroso sertanista Guarda-mor Francisco Martins Lustosa, natural de Santiago de Lustosa – Portugal, recomendado pelo padre Francisco das Chagas Lima. – No serviço de explorações mineralógicas, no sertões paulistas, na Serra da Mantiqueira e em S. Anna de Sapucahy, descobriu minas de outro das quais foi Guarda-Mor. / Dada a questão de divisas, entre S. Paulo e Minas Gerais, tomou partido do primeiro e com seus 200 homens, sustentou o direito paulista, com resolução firme, pelo que era ali grandemente estimado. Extinta a Capitania e Governo de S. Paulo, viu-se desamparado por parte deste, e perseguido pelo General Gomes Freire de Andrade, que tomou o partido de Minas. Sendo-lhe proposto continuar no serviço das minas, com as mesmas honras e vantagens, com que servira S. Paulo, nobremente recusou. Retirou-se para o Paraná, através de ínvios sertões, vindo aqui prestar inolvidáveis serviços, no comando da 6ª expedição a Guarapuava, iniciada em 1767, a qual tinha por comandante geral o valoroso Tenente-Coronel Afonso Botelho de Sampaio e Souza. Foi Guarda-mor de Pedra Branca do Tibagi, cujas minas auríferas descobriu. A energia e a capacidade de trabalho do valoroso Guarda-Mor, até o momento de sua morte, é um fato notável, que o engrandece.”

Em um artigo do jornal carioca “O Paiz”, de 28 de abril de 1928 encontrei alguma coisa também sobre a vida dele antes de vir para o Brasil.

“…Filho de Antonio Martins e de D. Angela Gomes, veiu á luz da vida em 1700, na villa de Santiago de Lustosa, arcebispado de Braga.

Na patria de origem que ainda jovem deixou adquiriu boa instrução.

Era a época em que as notícias mais phantasticas da descoberta de immensos thesouros no interior do Brasil empolgavam o espitito aventureiro dos portuguezes.

Lustosa deixou-se arrastar pela miragem e, em busca de fortuna facil, um dia aportou ás plagas brasileiras.

Foi residir na villa de Mogy das Cruzes, norte de S. Paulo, onde exerceu o cargo de tabelião, nomeado que foi …”

Referências: