domingo, 31 de maio de 2020

A antiga Sociedade Beneficente dos Operários Batel

Fachada da antiga Sociedade Beneficente dos Operários Batel
Detalhes da fachada da antiga Sociedade Beneficente dos Operários Batel
Detalhes da fachada da antiga Sociedade Beneficente dos Operários Batel
Detalhes da fachada da antiga Sociedade Beneficente dos Operários Batel

O prédio da A antiga Sociedade Beneficente dos Operários Batel é uma Unidade de Interesse de Preservação.

A Sociedade foi fundada em 1905 – quando Batel era uma região industrial com um grande número de operários – e inicialmente ocupava um barracão de madeira. Em fevereiro de 1932 o prédio mostrado na foto foi inaugurado.

Após a inauguração da sede nova virou um dos cubes mais populares da cidade, famoso pelo carnavais, em um cidade onde o carnaval não é muito festejado.

Na década de 1970 o evento “Garotas Bem Boladas”, onde mocinhas da cidade rebolavam em um desfile (dizem que, diante de uma platéia cheia de velhos babões) ficou famoso. Na época o clube era chamado pela população de “Batelzinho”.

O prédio, depois de ficar um tempo abandonado, foi restaurado, preservando muito bem a fachada, que é muito bonita.

Muito bem conservado, o prédio é atualmente ocupado por uma empresa de locação de espaço de trabalho compartilhado.

Referências:

sábado, 30 de maio de 2020

Um edifício no Alto da Glória


Para quem reclama que tem muitas fotos de casas velhas no blog, hoje a foto de um edifício contemporâneo. Não sei a idade dele. Dez, quinze anos? Não muito mais.

Os edifícios altos são construções muito novas. Só foram possíveis depois da invenção de um dispositivo de segurança para o elevador, o que aconteceu em 1853.

Ontem fiz uma postagem onde escrevi sobre as transformações nas cidades, delas serem construídas em camadas.
Uma coisa que intriga, nesse contexto, é o que acontecerá com os edifícios no futuro. E futuro quero dizer trezentos, quinhentos, mil anos. Ou seja, um futuro distante.
Como ficarão essas tais camadas? O que acontecerá com os edifícios?

Publicações relacionadas:
Transformações
As camadas da cidade
Edifício Moreira Garcez

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Transformações

Terreno onde uma casa foi desmanchada

Casa sendo reformada, parcialmente demolida

Terreno onde uma casa foi desmanchada, com escavadeira concluíndo o trabalho

As cidades são dinâmicas, em constante transformação. As edificações são abandonadas, reformadas, demolidas, substituídas por outras. Algumas vão ficando, como que congeladas no tempo, construindo pedaços da história da evolução da cidade.
As cidades crescem, diminuem e, até mesmo são abandonadas, desaparecem.
O ritmo dessas transformações varia de cidade para cidade e até mesmo dentro das diversas áreas de uma mesma cidade.
Alguém já disse que as cidades são construídas em camadas, umas sobre as outras.

Publicações relacionadas:
As camadas da cidade
Um edifício no Alto da Glória

quinta-feira, 28 de maio de 2020

Edifício Santo Antonio

Edifíco Santo Antônio, na Rua Itupava
Edifíco Santo Antônio, na Rua Itupava
Edifíco Santo Antônio, na Rua Itupava - detalhe sacada com vasinhos de flores
Edifíco Santo Antônio, na Rua Itupava - detalhe ornamentos na fachada

Edifício Santo Antonio, localizado na Rua Itupava.

Gosto desses predinhos (ou pequenos edifícios). Além de ser baixo, esse tem um ornamento de ferro simples, mas combinado com elementos geométricos (círculos) na alvenaria.

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Outras três fotos do interior da Santa Casa

Outras três fotos do interior da Santa Casa
Outras três fotos do interior da Santa Casa
Interior da Santa Casa de Curitiba

Mais algumas fotos do bonito interior da Santa Casa de Curitiba.
Essas fotos foram tiradas em junho de 2016, mas não havia publicado.
Se você ainda não viu, vale dar uma olhada nas ligações abaixo.

Publicações relacionadas:
Santa Casa
A capela da Santa Casa
Uma porta na Santa Casa
Santa Casa - alguns detalhes externos
Piso de madeira nos corredores da Santa Casa
Busto em homenagem a André de Barros
Madre Maria dos Anjos
Ninfa com cântaro

Caso queira fazer uma doação para a Santa Casa, veja esta página.

Recentemente descobri que a Santa Casa, através do Museu da Medicina está com uma campanha nova. Além da possibilidade de fazer uma doação normal pelo link indicado acima, agora você pode adquirir o livro “Santa Casa de Curitiba: Presente para o Futuro”. 100% das vendas serão revertidas para compra de equipamentos para o combate ao COVID-19. Caso queira, além de comprar o livro, pode também fazer uma doação adicional.
Imagino que essa campanha seja temporária. Aproveite e adquira um exemplar do livro e ajude a Santa Casa. Você pode fazer isso nessa página.

Texto atualizado em 28 jul. 2020

terça-feira, 26 de maio de 2020

Outra de madeira na Eduardo Geronasso

Casa de madeira na Eduardo Geronasso

Outra simpática casa de madeira na Rua Eduardo Geronasso.
Bem interessante a grade na porta.
Tem pelo menos três paredes em alvenaria.

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Só uma árvore

Árvore com um belo formato na Travessa Medianeira

Nessas andanças pela cidade o que chama a atenção muitas vezes é só o formato de uma árvore. Como foi o caso dessa na Travessa Medianeira.

domingo, 24 de maio de 2020

A casa do padrinho

casa na Rua Mateus Leme

casa na Rua Mateus Leme

Nessa casa na Rua Mateus Leme morou o Sr. Manoel Eppinger (casado com Elza Lidas), padrinho de minha esposa.

Quando casamos, minha esposa foi na floricultura dele na Rua São Francisco levar o convite e fazer a encomenda da decoração da igreja (Igreja do Rosário dos Homens Pretos de São Benedito) e do clube (Concórdia).

Quando chegamos na igreja encontramos um bonito tapete branco (havíamos encomendado um vermelho, que era mais barato) e a quantidade de flores, tanto na igreja como no clube, era muito maior da que tínhamos encomendado. Além disso, durante a festa, ele nos deu um cheque no valor da metade do que havíamos pago. Recebemos o dobro pela metade do preço. Um belo presente, que lembramos dele sempre que olhamos as fotos.

Depois de aposentado o Sr. Manoel passava horas cuidando do jardim da casa.

sábado, 23 de maio de 2020

Escola Municipal Duílio Calderari

Escola Municipal Duílio Calderari

Escola Municipal Duílio Calderari localizada na Rua José Sperancetta, no São Lourenço.

Não encontrei nada sobre o histórico dela (data de fundação, essas coisa), mas o nome da escola deve ser uma homenagem ao Professor Doutor Dúlio Anibal Calderari.

Duílio Anibal Calderari

“Nasceu em 21 de abril de 1893 no Município de Palmeiras (PR). Foi professor, poeta e médico, doutorando-se em 1926. Fundou e dirigiu o Colégio Duílio Calderari. Em 1930, ao lado do professor Erasto Gaertner e de outros dedicados cientistas, colaborou na fundação do Instituo de Medicina e Cirurgia do Paraná, onde foi médico, e assumiu a direção do Serviço de Radiologia. Na UFPR dirigiu a Disciplina de Fisiologia e Assistente de Farmacologia, ate 1948. Foi também grande orador, músico e compositor. Faleceu em 29 de dezembro de 1950 em Curitiba.”

Imagino, uma vez que não encontrei a história dela, que a escola retratada não tenha ligação histórica com o colégio fundado pelo Dr. Duílio, que ficava na Praça Carlos Gomes.

O professor Duílio é também homenageado com o nome de uma rua no Hugo Lange.

Referência:

sexta-feira, 22 de maio de 2020

Um ornamento de ferro em casa na Mauá

Casa com ornamento de ferro na Rua Mauá

Casa com ornamento de ferro na Rua Mauá

O que achei interessante nessa casa na Rua Mauá foi a platibanda com ornamento de ferro.

Ocupada, no dia que fotografei, por dois bares. Pelo número de portas, imagino que sempre foi para uso comercial.

quinta-feira, 21 de maio de 2020

Uma de madeira na Marcelino Nogueira

Casa de madeira na Rua Marcelino Nogueira, no Bacacheri

Casa de madeira na Rua Marcelino Nogueira, muito bem conservada. Na foto, um pouco escondida pela grade.

Nessa chamou a minha atenção os vidros na porta e na janelinha ao lado dela (meio escondida pela coluna). Reparei também nos detalhes da varanda em alvenaria (coluna, relevos, floreiras e escada).

quarta-feira, 20 de maio de 2020

Outra casa na Ubaldino do Amaral

Casa na Rua Ubaldino do Amaral

Casa na Rua Ubaldino do Amaral

Casa bem bonita na Rua Ubaldino do Amaral.

Telhados bem inclinados, falso enxaimel, uso de basaltos na decoração e também bem legal o desenho das ripas nos guarda-corpos das sacadas.

terça-feira, 19 de maio de 2020

Um château na Itupava

Um château na Itupava
Um château na Itupava
Um château na Itupava
Um château na Itupava - detalhe portão

Muito bonita essa casa na Rua Itupava.
Também bonito o trabalho de serralheria nas grades e portão.

Com aquele estilo que lembra os châteaux do Vale do Loire (pelo menos a mim lembram).

Não sei se esse estilo tem um nome, mas tem relativamente bastante casas assim na cidade.
Imagino que foram todas construídas mais ou menos na mesma época, quando o estilo parece ter sido moda (em volta dos anos 1940/50).

segunda-feira, 18 de maio de 2020

A árvore e a casa

Árvore na calçada em frente de uma casa

A casa na Avenida Anita Garibaldi é bacana, mas quase não aparece. Mas gostei da foto, com a árvores, como muitos galhos e sem folhas, no primeiro plano.

domingo, 17 de maio de 2020

Outra casa na João Gualberto

Casa na Avenida João Gualberto, em Curitiba

Casa na Avenida João Gualberto, em Curitiba

Outra bonita casa na Avenida João Gualberto.

Repare os diversos detalhes decorativos.

Segundo um comentário em uma rede social, teria sido construída pelo imigrante espanhol Jesus Alvarez Tarzado, proprietário da Confeitaria das Famílias.

Publicação relacionada:
Confeitaria das Famílias

Referência:

sábado, 16 de maio de 2020

As retas que viraram curvas

As retas que viraram curvas
As retas que viraram curvas

Essa casa, no Jardim Social, foi recentemente reformada. Não acompanhei, mas nem sei se dá para dizer que foi reformada. Está mais para reconstruída, uma vez que tive a impressão de que foram aproveitadas apenas algumas paredes.

Antes a casa tinha linhas retas, no estilo funcional (uma das categorias do modernismo) e agora ficou cheia de curvas e bem bonita.

Lembrei do “Poema da Curva”, de Oscar Niemeyer.

Publicação relacionada:
Poema da Curva

sexta-feira, 15 de maio de 2020

Grafite no muro, capelinha na fachada

Casa com grafite no muro e capelinha na fachada

O que chamou a atenção foi o grafite, bem colorido.
Mas depois, reparando mais, gostei da casa. Telhado com várias inclinações, a entrada, bay-window e a capelinha.

quinta-feira, 14 de maio de 2020

O ciclista

Ciclista circulando em via exclusiva para ônibus e acima da velocidade permitida.

Na foto de hoje um ciclista andando rápido (a velocidade na Avenida João Gualberto é 30 km/h) na canaleta do ônibus expresso.
E note que está fazendo isso em uma via que tem ciclovia.

Tenho lido por aí comentários de ciclistas reclamando que não são respeitados.

Deve ser uma minoria, mas a verdade é que tem muitos deles que não respeitam as leis de trânsito e de civilidade.

Eu mesmo já fui quase que atropelado por uma ciclista que simplesmente resolveu não parar no sinal fechado para ela.

Desrespeito ao sinal fechado, circular na contramão, não respeitar limite de velocidade, andar sobre a calçada, desrespeito em vias compartilhadas com pedestres, tudo isso já ví por aí.

quarta-feira, 13 de maio de 2020

Outra casa de madeira na 21 de Abril

Casa de madeira na Rua 21 de Abril, em Curitiba

Casa de madeira na Rua 21 de Abril, em Curitiba

Outra simpática casa de madeira na Rua 21 de Abril.
Bem próxima de uma outra que já publiquei a foto e vou por a ligação abaixo.
Julgado pelas árvores, elas deve ser bem velhinhas.
Uma coisa que sempre chama a minha atenção é a variedade de desenhos desses muros pré-fabricados, que as duas têm.

Publicação relacionada:
Uma casa de madeira na 21 de Abril

terça-feira, 12 de maio de 2020

Terminal Barreirinha

Terminal de ônibus urbano na Barreinha, Curitiba

Terminal de ônibus urbano na Barreinha, Curitiba

Terminal de ônibus urbano no Barreirinha, localizado na Avenida Anita Garibaldi. Foto tirada em setembro de 2019.

segunda-feira, 11 de maio de 2020

domingo, 10 de maio de 2020

Outra amarela

Casa com frontaria interessante
Casa com frontaria interessante
Casa com frontaria interessante - detalhe de ornamento de ferro
Casa com frontaria interessante - detalhe de adrono de ferro e grades nas janelas
Casa com frontaria interessante - detalhe

Interessante e bacana a frontaria dessa casa na Rua Floriano Essenfelder.

Repare na platibanda, na decoração com basalto, no trabalho de serralheria nas janelas e no ornamento de ferro. Bem legal, gostei dela.

sábado, 9 de maio de 2020

Duas das “Sete Raízes”

Obra do artista plástico chinês Ai Weiwei feita com raízes e troncos
Obra do artista plástico chinês Ai Weiwei feita com raízes e troncos

Pelo andar da carruagem por um bom tempo não poderemos frequentar os museus. Enquanto isso algumas fotos de exposições passadas

Nas fotos obras do artista plástico chinês Ai Weiwei na exposição “AI WEIWEI - RAIZ”, realizada no Museu Oscar Niemeyer - MON em 2019..

Na placa sobre as obras estava escrito o seguinte:

“SETE RAÍZES
2018
Madeira
Dimensões variáveis 
Ai Weiwei queria criar obras que unissem os contextos culturais chineses e brasileiros. As árvores eram de seu particular interesse na pesquisa no Brasil. 
Em um estúdio de artista em Troncoso, na Bahia, ele descobriu as raízes e troncos nativos que seriam usados para compor Sete Raízes. As partes das árvores eram remanescentes de desmatamentos e de causas naturais. 
Ai. Weiwei dirigiu uma equipe de artesãos chineses e brasileiros na criação deste trabalho, e cada uma das novas obras reúne duas ou três raízes diferentes. A técnica de carpintaria chinesa usada para montar as Sete Raízes remete ao trabalho anterior do artista, Árvore (2009), no qual partes distintas de árvores derrubadas foram unidas para criar formas inteiramente originais. 
Sete Raízes exemplifica a importância do ready-made na prática de Ai Weiwei, que certa vez disse: “Meu trabalho é sempre ready-made. Pode ser cultural, político ou social, e também pode ser arte – fazer com que as pessoas repitam o que fizemos, sua posição original, para criar novas possibilidades. Quero sempre que as pessoas fiquem confusas, chocadas ou percebam algo mais tarde”. 
Cada uma das sete raízes tem um nome diferente: Força, Palácio, Mosca, Sr. Pintura, Festa, Martin e Nível. As últimas duas integram esta mostra.”

Publicação relacionada:
A história nos ensina …
Bicicletas Forever

sexta-feira, 8 de maio de 2020

Uma casa de madeira na Costa Rica

Casa de madeira na Rua Costa Rica, em Curitiba

Simpática casa de madeira na Rua Costa Rica.

Além os detalhes nas casas (como aquele recorte em degraus na entrada), gosto de observar os jardins, os vasos, as flores.

quinta-feira, 7 de maio de 2020

A “pedra fundamental” do Pequeno Príncipe Norte

A escultura em mármore branco, pesando cerca de quatro toneladas, é uma obra do artista Alfi Vivern

Placa de agradecimento

Placa comemorativa

Em frente ao prédio do Educandário Curitiba está essa escultura que serviu de pedra fundamental do Hospital Pequeno Príncipe Norte, em evento realizado em 11 de dezembro de 2013.

A escultura em mármore branco, pesando cerca de quatro toneladas, é uma obra do artista Alfi Vivern.

No local encontrei duas placas, uma próximo a escultura diz o seguinte:

“À FAMILIA IGEL
Ernesto e Pry (in memorian)

Gratidão pela confiança e doação
representada por esta escultura, nossa
simbólica pedra de lançamento.

Complexo Pequeno Principe  AEW-PR Associação Eunice Weaver do Paraná”

Na outra placa, fixado no prédio do Educandário, está escrito o seguinte:

“Em 11 de dezembro de 2013, na presença do
excelentíssimo prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet;
de Edson Arantes do Nascimento — o Pele´; das diretorias
da Associação Eunice Weaver do Paraná e da Associação
Hospitalar de Proteção à Infância Dr. Raul Carneiro; e ainda
de representantes da comunidade e entidades parceiras,
foi lançada a “PEDRA FUNDAMENTAL” do Campus
Integradio em Saúde Pequeno Príncipe-Juril Carnasciali.
Nesta ocasião, também foi inaugurada a “Praça das Pioneiras”,
que homenageia a energia feminina nas pessoas que inspiram
este Projeto – a saber: as senhoras Eunice Weaver;
Juril Carnasciali e Ety Gonçalves Forte.

Complexo Pequeno Principe  AEW-PR Associação Eunice Weaver do Paraná”


Publicações relacionadas:
Educandário Curitiba
Uma casa junto ao Educandário Curitiba

Referência: